* A Autora – curriculum profissional.

— Myriam de Carvalho @ 3:24 pm

.

Breve currículo:

1-

Habilitações académicas: Licenciatura em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras de Lisboa

.

Habilitações profissionais:

Curso de Ciências Pedagógicas;

Estágio Pedagógico;

Vários seminários, nomeadamente um na Universidade de Nice

O curso “Portugal Islâmico”, na Associação Cultural Espaço e Memória (dois anos lectivos);

Vários cursos de verão (Escola de Verão) na Universidade Nova de Lisboa (FCSH)

.

Auto-Formação Permanente:

Ao longo da minha carreira profissional, mantive-me actualizada em psicologia e pedagogia. Neste âmbito, os meus mestres foram Alexander Sutherland Neill, Célestin Freinet, Paulo Freire e Stanislaw Tomkiewicz. Em matéria de didáctica, mantive-me actualizada em didáctica do Francês-língua estrangeira, e em didáctica do Português.

Tenho estudado de forma um tanto errática mas com persistência preferencial:

Literaturas Clássicas: Chinesa, Grega, Árabe, Persa

História e Cultura: da Antiguidade, da Grécia; das Cruzadas e séc XII, do Al-Andalus (1); dos Índios; Inquisição; do RACISMO: Semitismo / Anti-Semitismo, Escravatura;

História das religiões;

História e Literatura do séc XX: Modernismo e Surrealismo; os denominados Renascimentos Negros, americanos, africanos…

.

2-

Carreira profissional:

Fui professora de Francês e de Português, no 2º Ciclo e esporadicamente no 3º;

Dei aulas de Português e Cultura Portuguesa, em Joanesburgo, República da África do Sul

Reformada, desde 2006.

Em Fevereiro de 2015, sou integrada no corpo de investigadores do CLEPUL, Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

.

Funções que desempenhei:

Directora de Turma;

Delegada de Disciplina – com dinamização da Biblioteca;

Orientação de Estágios pedagógicos, quer para professores de Francês, quer de Português;

Dois Conselhos Directivos;

Coordenei a elaboração de dois “Planos de Formação” ou seja, a programação do ano lectivo;

Desenvolvi, em equipa com um pequeno grupo de colegas, uma experiência educativa de recuperação de crianças e pré-adolescentes pré-marginais  (“Experiência do Feijó”);

Publiquei uma revista escolar, aberta à colaboração de toda a Escola (“Revista da António”)

.

Várias Comunicações, apresentadas ao 2º Grupo (professores de Português, Francês), de que destaco de memória:

– Reflexão sobre a correcção das redacções

– Planificação da matéria, interligando a Gramática e a Interpretação

– A Dramatização na aula de Português.

.

Depois da Reforma (como Voluntariado):

– Dei aulas na área da Literatura, na Universidade Sénior de Almada (2010 / 11)

– Dou colaboração pontual nas bibliotecas escolares de três escolas. Ex, em datas festivas, ou em actividades específicas do plano de actividades das mesmas escolas.

.

3 –

Actividade não-docente:

.

Publico Poesia e Conto:

Livros publicados:

“5X5 / 25 Poemas” – Col Sol/Poesia, edç Sol XXI, 1992;

“E No Fim Era A Poesia”, ed Vega, 2007

“O Livro das Actas – Ex annis 70 et 80 – in loco vehementer in calorem” – Edição cadernos Literários vuJonga, 2016 (edição d’ autora)

.

Estou representada em vária antologias, nomeadamente:

“Literatura Actual de Almada” – 1998;

“Subsídios para a História da Literatura do Algarve, sé XI – XX” – 2000.

.

Tenho participado em actividades culturais:

Na cidade de Almada;

Em Lisboa:

– Fui sócia fundadora da Associação Cultural Sol XXI, tendo colaborado na organização dos Encontros de Vila Viçosa (1987 e 1988)

– Colaborei com a Sociedade da Língua Portuguesa;

– Entre 2012 e 2013:

– Tive uma colaboração com o Departamento de Acção Cultural da Câmara Municipal de Lisboa, colaboração esta que deu origem a um livrinho para o qual dei sugestão e prestei apoio: “Moaxahas para Lisboa” – e cujo lançamento teve lugar no dia 18 de Maio de 2013, no Castelo de São Jorge, pelas 20h 30m, integrado nas celebrações do Dia Mundial dos Museus

– Colaborei pontualmente com o grupo Escritores Moçambicanos na Diáspora

-2014 – Fui convidada a manter uma crónica quinzenal no jornal on-line “O Autarca”, da cidade da Beira, em Moçambique, sobre temática relacionada com o Alandalus (ou Al-Andalus).

.

Actividade recente:

=Publico com regularidade no site brasileiro: Recanto das Letras.

=Mantenho uma colaboração quinzenal com o jornal on-line “O Autarca”, da cidade da Beira, em Moçambique.

= Desenvolvo este blogue: “Por Ondas Do Mar de Vigo”, desde 2009:

www.myriamdecarvalho.com

.

=================================

(1) – Quanto ao Alandalus (ou al-Andalus):

Este tema sempre me interessou. Os primeiros livros referentes a esta cultura, que comprei na FNAC, em Paris, datam dos anos 80. Nessa altura, as “meninas” da FNAC, quando perguntei por livros sobre o Alandalus ficaram literalmente de boca aberta, não sabendo do que se tratava. Indicaram-me uma tradução francesa de Ommar Khayyam, feita a partir de uma tradução para inglês por um professor persa, da Universidade de Teerão: Dr. Otoman Zar-Adusht Ha’nish (edição não datada). Doutra vez, indicaram-me duas obras: uma, de André Miquel, “Majnun, L’Amour Poème” (edição da Sindbab, col. La Bibliothèque Arabe, 1984); e a outra de Jacques Berque, também em edição da Sindbad, (col. La Bibliothèque Arabe, 1979). Nessa mesma década de 80, em Espanha, pouco mais encontrei. Trouxe uma “Antología de la Lírica Andalusí – AJIMEZ”, de José Hagerty (edição E.A.U.S.A., 1985).

Entretanto, começaram a aparecer os livros de Adalberto Alves. E finalmente apareceu a Internet.

Ao princípio, a Internet pouca ajuda proporcionava; nada se parecia com o manancial de informação que actualmente aí podemos encontrar. E também começou a haver mais bibliografia disponível, sobretudo na FNAC.

E assim, chega o ano de 2002. Desde aí, sensivelmente, estudo de forma aprofundada e sistemática, a História, Cultura e, sobretudo, a Poesia do período do Alandalus (ou al-Andalus), e o seu legado, e vou também frequentando cursos sobre este tema. Aprofundando assim um interesse muito antigo, com cerca de 30 anos, se não mais.

Com o tempo, este centro de interesse tornou-se muito mais amplo, alargando-se à História e Cultura Islâmica e Persa, um pouco também sobre a Cultura Bizantina, com incidência na Idade Média.

.

Publicado por

© Myriam Jubilot de Carvalho

Dia 16 de Outubro de 2013, pelas 16h 20m

Actualizado sempre que se justifique:

Última actualização, em 31 de Agosto de 2019.

.

.

0 Comments »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Unported License.
(c) 2019 Por Ondas do Mar de Vigo | powered by WordPress with Barecity