Da janela do meu quarto

* Poesia — Myriam de Carvalho @ 5:24 pm

.

Da janela do meu quarto

 *

A janela deixa-se invadir pelo casario e ruas arborizadas. Na sombra das nuvens, a manhã acordou-me, cinzenta, na minha frente.                                                            Não se nota que é Primavera, mas ela chegou no calendário. Hoje é domingo, e a meteorologia promete chuva.                                                                                      Queria sair. Sair de casa. Mas estás longe e não há como ir ao teu encontro.

.

O meu apartamento fica num andar alto. Visto a partir desta perspectiva, o casario tem a sua beleza. Primeiro, os telhados vermelhos das vivendas do bairro antigo a demarcarem a rua alcatroada. Atrás, os prédios altos na sua monotonia acinzentada; atrás destes, os prédios vermelhos. Um pouco mais ao fundo, uma paleta de amarelos. De onde em onde, sobressaem as copas das árvores. Algumas já renovaram a folhagem que fresca e transparente se baloiça ao ritmo da aragem.

.

Ainda é cedo, mas os carros começam a invadir o espaço com os seus ruídos monocórdicos.                                                                                                            Acho que são horas do meu chá matinal. Talvez a seguir regresse um pouco de sono.

© Myriam Jubilot de Carvalho

Inédito, 6 de Abril de 2019

.

Publicado por

© Myriam Jubilot de Carvalho

Dia 11 de Abril de 2019, pelas 18h 25m

.

.

 

0 Comments »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Unported License.
(c) 2019 Por Ondas do Mar de Vigo | powered by WordPress with Barecity