Ser HUMANO não é rentável… Os acontecimentos no bairro da Jamaica

* Notas Breves — Myriam de Carvalho @ 1:26 pm
 .
.
De facto, ser HUMANO não é rentável.
.
É esta a minha conclusão, após a leitura deste artigo que alguém partilhou no FB:

El ser humano frente al algoritmo: por qué el futuro necesita más Artes y Humanidades (1)

.
Tenho visto com a maior atenção os acontecimentos no bairro da Jamaica, tanto na TV como na Net.
E não chego a nenhuma conclusão neste particular:
– Alguém chamou a Polícia?
– E se chamou, quem foi que chamou?
Em primeiro lugar, o vídeo inicial, o que chamou a atenção, mostra uma realidade que a maioria de nós de facto ignora – mostra uma zona habitacional que não é um “bairro” – o que vemos é um “NÃO-BAIRRO” – será que há pessoas a viver naqueles prédios inacabados e arruinados?
.
Tenho tido sempre a maior admiração pela Câmara do Seixal. Mas será que ainda ninguém olhou, ou reparou, ou pensou que há pessoas ali a viverem em condições degradantes?
.
E como se pretende que essas pessoas actuem perante situações em que se agitam os ânimos?
.
Porque é que a Polícia é mal acolhida num bairro como o Bairro da Jamaica?
E o facto de alguém ter atirado uma pedra justifica a brutalidade que o vídeo testemunha?
.
Por maior que seja o meu respeito pelos agentes da Polícia, não posso considerar-me solidária com este tipo de actuações.
.
No meu entendimento, no subconsciente destes acontecimentos, está uma questão de território.
Para os habitantes daquela zona, aquele “território” é deles, ali, é o seu espaço. Logo, as desavenças terão que ser resolvidas entre “eles”.
Para a Polícia, representante da Ordem nacional, aquelas pessoas estão ali por alguma espécie de acidente, no fundo não pertencem ali, estão ali por uma benesse do destino , e têm que se “portar bem”. Quando a Polícia actua como vemos no vídeo, ela está a mostrar “quem manda”.
.
Num dos noticiários, mostrando a manifestação que decorreu e se juntou salvo erro no Marquês (em Lisboa), uma jovem denunciava “Chamam-nos macacos”.
.
E é isto que eu não compreendo:
No século XXI?!
Que é que tem sido feito pelas pessoas que vieram dos territórios de África, seja no tempo colonial, seja depois?
.
No tempo colonial, nas suas terras de origem, o Colono e as leis coloniais reduziram as populações africanas a condições de inferiorização. Dizer-se que éramos um país igualitário era pura fachada. Todos o sabemos. Não há como escamotear essa verdade.
.
E continua a vigorar essa mentalidade.
.
Que é que tem sido feito?
Que é que se faz a nível educativo?
.
Tudo isto tem que ser falado – falado até à exaustão – e para além dela!
Tem que haver um empenho nacional de re-educação geral.
E tem que se acabar com os guettos.
Tem que haver um esforço nacional de re-educação e de integração, com respeito total pelas diferenças culturais!
.
De facto, os estudos de Humanidades são essenciais.
Vislumbra-se bem qual a utilidade actual de apagar o conhecimento da História. A ignorância favorece a manutenção dos interesses instituídos, e o comodismo da manutenção dos preconceitos.
Com a manutenção dos preconceitos, quem se considera na “mó de cima” tem sempre razão; e não admite discussão.
.
E é tudo isto que temos que discutir.
.
=================
NOTA:
Esta noite, nas Notícias da SIC:
Uma breve reportagem sobre o Bairro da Jamaica.
E
Entrevista a um elemento da Câmara do Seixal, que disse que estão a fazer o realojamento das famílias daquele bairro.
_
 (1)
Link do artigo:
https://www.equaltimes.org/el-ser-humano-frente-al-algoritmo?lang=en&var_ajax_redir=1&fbclid=IwAR2_CnH1qEmLuUtkSiqon3BXn8KG8kd_I2dPkpbrahMcGTW-syJoo2vXV68#.XEcYzdPFJjT
.
.
Publicado por
© Myriam Jubilot de Carvalho
Dia 22 de Janeiro de 2019, pelas 13h 22m
.
.

0 Comments »

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Unported License.
(c) 2019 Por Ondas do Mar de Vigo | powered by WordPress with Barecity