Noite de Verão

* Poesia — Myriam de Carvalho @ 10:26 pm

.

DsrtaCst-5459P

Noite de Verão

.

A noite desceu na praceta

das traseiras. Os pardais amalharam

há muito.

.

Na rua, a esplanada encheu-se

de petiscos, e cheira a caracóis,

cerveja, e mariscos

.

São cheiros de Verão. A aragem

que desliza pelos guarda-sóis

da esplanada

sobe-me à janela e sabe-me

a praia, liberdade,

caldo-verde,

e arroz-doce com canela

.

Sabe-me à infância,

quando os dramas eram maiores

que o mundo

e me fizeram reduzi-los ao tamanho

das bonecas

© Myriam Jubilot de Carvalho

23 de Julho de 2016

Inédito

Foto:

Foto retirada da Net, do Blogue:

“blogue turismo do Algarve”:

a foto diz respeito à  Ilha Deserta (Barreta), sobre a qual diz:

A ilha Deserta é uma das mais bem conservadas e menos frequentadas praias do Algarve.

É uma área completamente desabitada da ria Formosa. Raro santuário,

a ilha Deserta convida à tranquilidade e ao descanso.” (…)

VER:

http://blog.turismodoalgarve.pt/2012_01_01_archive.html

.

Publicado por

© Myriam Jubilot de Carvalho

Dia 23 de Julho de 2016, pelas 23h 25m

.

.

 

Os predadores

* Poesia — Myriam de Carvalho @ 7:19 pm

.

Estes dias de calor intenso fizeram-me recordar os maravilhosos passeios pelo Kruger National Park, na República da África do Sul. 

Dessas viagens, registei muitas impressões, tanto em fotos como em poemas. No entanto, estas fotos são retiradas do Google Images.

Cheetah family wildlife animal protection animal rescue of endangered species of africa beautiful amazing cheetah hunting pictures

Predadores

.

Dormir,

só porque está calor…

é ceder

à morte…

.

Os animais que se deslocam

através dos meus binóculos

não dormem nunca.

Procuram

as sombras, mergulham

no rio, descansam

em pé, mas

não dormem nunca…

.

Os predadores congeminam o salto

que nos será fatal, aqui

mesmo ao nosso lado, sob

o mais inocente dos argumentos – digo

dos arbustos

.

© Myriam Jubilot de Carvalho

Kruger National Park, Agt. 95

predation-and-defense-3891

Predators

.

To sleep,

just because it’s hot …

it’s to give up

and call for death…

.

The animals moving

through my field-glasses

do never sleep.

Looking for shadows, diving

in the river, they rest

on feet, but

do never sleep…

.

The predators muse about that jump

which, for us, will be fatal – just here,

just on our side, under

the most innocent of the reasons – I’m saying

the most innocent of the bushes

.

English version on the 23rd of July 2016

© Myriam Jubilot de Carvalho

858B9A2B-C7A8-C577-8C50C8C3FF19B926

.

Imagens:

retiradas do Google Images

.

Publicado por

© Myriam Jubilot de Carvalho

– igualmente publicado no FB –

Dia 23 de Julho de 2016, pelas 20h 15m

.

.

 

Um poema antigo

* Poesia — Myriam de Carvalho @ 11:06 pm

Mais uma vez, repescando em papéis antigos…

.

7488b5da44115f3e6756289cc92847c8

Certezas

.

Chegas, é tarde. Estou cansada.

Mas tu chegas,

e tudo passa. E já não é nada.

.

Chegas, eu sei que chegas.

Cansada, e gasta,

usada,

eu vou ao teu encontro.

.

E tu prendes-me.

Sorris. E

tudo passa. E já não é nada.

.

Chegas. Eu sei! Dentro em pouco, tu,

vais chegar! E eu?

Eu tinha sido empalada!

Empalhada, suprimida.

E tu dizes – Minha querida

e tudo passa. E

já não é nada…

.

…porque chegas! Sempre chegas.

Não tem poder, o tempo, sobre ti.

E eu

vou ao teu encontro…

Eu sou o teu lugar!

.

Puseste-me na tua vida, e eu…

…eu renasci

© Myriam Jubilot de Carvalho

31 de Maio de 1995

Publicado por

© Myriam Jubilot de Carvalho

Dia 15 de Julho de 2016, pelas 00h

.

.

 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Unported License.
(c) 2019 Por Ondas do Mar de Vigo | powered by WordPress with Barecity