Poema do puro aço inoxidável

* Poesia — Myriam de Carvalho @ 9:00 am

.

.

Poema do puro aço inoxidável

.

Hoje é dia 10 18

Data que me traz à rija têmpera

das palavras,

das mais doces às mais duras

.

As minhas palavras são temperadas

como ouro, como

o aço

.

As minhas palavras são entidades consagradas,

da linhagem dos sentimentos os mais puros, mais

profundos, mais complexos, mais

sentidos

.

Que as palavras são para ser amadas!

Entrego-me ao poder das palavras

como àquele único amante que me eleva

às âncoras onde se fundem corpo e alma

.

As palavras são para ser amadas!

Com as palavras se salva ou se condena,

Com as palavras se escraviza, ou se liberta,

Com as palavras se louva, ou se despreza,

.

ou se ama

Com as palavras se escolhe o destino –

A vida – ou a morte –

Como quem faz a cama

.

.

Forum Romeu Correia, dia 18 de Outubro de 2013

Perante um painel com um poema onde se dizia que as palavras não valem nada…

Poema Inédito

.

Imagem:

http://static.ddmcdn.com/gif/care-antique-books-1.jpg

.

Publicado por Myriam Jubilot de Carvalho

Dia 19 de Outubro de 2013, pelas 10h

.

.

.

2 Comments »

  1. Fui agora mesmo dar uma espreitadela ao teu blogue, adorei, uma delícia não tenho palavras para explicar o momento de felicidade que os meus neurónios sentiram, quem preza o conhecimento, não pode deixar de ficar inebriada, adorei os poemas, é para se ver com mais tempo.
    Tenho muita admiração por ti, por todo o teu trabalho em prol da literatura.

    Comment by Lúcia Oliveira — October 24, 2013 @ 10:51 am
  2. OBRIGADA, Lúcia!
    És uma grande Amiga!
    Qualquer pessoa é maravilhosa aos olhos de quem a estima verdadeiramente. E é sempre bom de se comprovar essa verdade!
    Um grande beijinho para ti!
    Fátima – Myriam

    Comment by Myriam de Carvalho — October 24, 2013 @ 11:51 am

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a comment

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 3.0 Unported License.
(c) 2019 Por Ondas do Mar de Vigo | powered by WordPress with Barecity